Semana 11: 21-27 Agosto

A equipa do Arquiteturas acredita que esta pausa é uma ótima oportunidade para relembrar as últimas sete edições do festival e oferecer aos espetadores do mundo inteiro uma retrospetiva do festival com filmes gratuitos. Cada filme será lançado todas as sexta-feiras, até à data da edição no próximo ano, que decorrerá no cinema São Jorge de 1-6 Junho, e poderá ser visionado durante uma semana. Esta iniciativa visa proporcionar visibilidade aos filmes e aos realizadores e agradecer a sua contribuição para o início de muitas discussões necessárias iniciadas no festival através das histórias retratadas nos filmes. O festival convida todas as semanas, ao vivo no Instagram, os realizadores para uma conversa informal com a diretora do festival. Estas conversas serão anunciadas sempre que for possível serem realizadas, através das páginas do Instagram e do Facebook do festival.

STREAMING GRATUITO DISPONÍVEL ABAIXO DE 14 A 20 AGOSTO

LIVE INSTAGRAM COM FABIO PETRONILLI TBA (GMT+2)

HT2 ARQUITETURAS’13 Fabio Petronilli, Itália, 2014, 18’

A Argot ou La Maison Mobile e o Mezzo Atelier foram convidados a orientar um workshop prático de arquitectura, organizado pela UAL (Universidade Autónoma de Lisboa) e Vitruvius FabLab com o apoio da Câmara Municipal de Almada. A edição do InSitu em 2013 teve como foco o 2º bairro Torrão, na Trafaria. Com um grupo de 10 participantes e a comunidade os arquitetos trabalharam com o tema das hortas urbanas. Após um período de pesquisas para entender o bairro e sua gente, decidiram criar estruturas de apoio às hortas em três áreas diferentes do bairro. Com a introdução do equipamento urbano básico, geraram locais de encontro e de partilha, para ajudar as pessoas a começar a cultivar os seus próprios jardins, criaram também um folheto simples que mostra todos os passos e dicas para cultivar uma horta, fazer uma compostagem e construir mais vasos de flores.

Organização – CEACT / UAL e Vitruvius FabLab / ISCTE
Coordenadores – Pedro Campos Costa, Filipa Ramalhete, Sérgio Silva e Alexandra Paio
Tutores – A + LBY Architects | Argot + Mezzo Atelier | Atelierbase | Ateliermob | Likearchitects

You’ll Soon Be Here VENCEDOR DO PRÉMIO DA AUDIÊNCIA NO ARQUITETURAS’16 Fabio Petronilli, Portugal / Holanda, 2016, 38’

Nos últimos anos, Lisboa tornou-se uma das cidades europeias com maior crescimento do turismo. Todos os anos, 6 milhões de pessoas visitam a capital portuguesa: 200.000 turistas todos os dias. O turismo traz oportunidades a uma cidade fortemente atingida pela crise global. Mas, entretanto, a cidade está basicamente a desaparecer: nos últimos 30 anos, Lisboa perdeu cerca de 300.000 habitantes, a taxa de desocupação é elevada. O STADSLAB organizou uma masterclass internacional: o estudo de caso de intervenção urbana centrou-se na Mouraria, um dos bairros mais antigos de Lisboa, visto que partes da Mouraria já são afetadas pelo turismo: preços de propriedades baratos e proximidade de outros destinos turísticos levantam suposições que a Mouraria irá enfrentar um grande influxo de investimentos em infraestrutura imobiliária e turística. A oportunidade é o seu desenvolvimento económico, mas o risco é a perda de identidade.

Learning by Doing. Lesotho 2018 ARQUITETURAS’19 Fabio Petronilli, Lesoto / Itália, 2014, 18’

O documentário viaja a um reino esquecido chamado Lesoto: um país sem litoral dentro da África do Sul.
O filme segue a jornada exploratória de uma nova abordagem chamada in loco desenvolvida por uma organização sem fins lucrativos chamada Rise que está a tentar resolver dois problemas-chave que transcendem o continente africano; elevados níveis de desemprego juvenil e necessidade de desenvolvimento de infraestruturas.
O espectador obtém uma visão sobre os desafios que o governo e as comunidades enfrentam ao tentar resolver alguns dos problemas do país, como a necessidade de planejamento e desenvolvimento para uma crescente população de baixa renda e como abrigar 10% das crianças órfãs da população.
Filmado ao longo de um período de 10 meses, pode-se ter um vislumbre do quotidiano das crianças que moram no orfanato God’s Love Centre e aprender sobre as experiências dos jovens no programa de comunhão in loco. A fotografia captura a beleza majestosa do reino da montanha justaposta à dura realidade da juventude desempregada do país.

ABOUT FABIO PETRONILLI

Fabio Petronilli é um realizador e editor residente em Milão. Licenciado em Filosofia (Estética), de 2007 a 2010 foi editor-chefe do canal americano via satélite Current TV, atuando no programa principal (Vanguard) e criando reportagens no Brasil, Índia e Leste Europeu.

Desde 2010 é membro da ONG LiveinSlums, para a qual dirigiu o documentário “Inside Mathare” em Nairóbi e São Paulo.

Trabalhou com a Bracco Sustentabilidade (Responsabilidade Social Corporal) e dirigiu no Benin os documentários “Collège Fulvio Bracco” sobre o Bracco College, uma escola informal em área rural e “Mulheres, Sementes do Desenvolvimento”.

Colaborou com os estúdios de arquitetura Argot ou la Maison Mobile + Mezzo Atelier, criando conteúdos relacionados com o seu projeto internacional (“H2T” em Lisboa, “Redesign Tradition” em São Miguel, Açores), com Chiara Alessi, jornalista de design e escritora (making um documentário sobre seu último ensaio “Design senza Designer”), e com o coletivo Catalytic Action, sediado em Londres (“Ibsatem” um playground para refugiados sírios no Líbano).

Em 2016 dirigiu e editou o documentário “You’ll Soon Be Here”, produzido pelo Stadslab Urban Design Lab (Universidade de Tilburg) sobre o processo de Gentrificação do Turismo na Mouraria, um dos bairros mais antigos do centro histórico de Lisboa – que ganhou o Prémio da Audiência no Arquitetura Film Festival 2016 (Lisboa).

Em 2017 trabalhou para a BIO25 Ljubljana Design Biennial com Odo Fioravanti, produzindo o curta-metragem “HEPHAESTUS – Non Offensive Weapons”; produziu e dirigiu o documentário “EZOS”, sobre a antiga / nova cidade de Tbilisi (Geórgia).

Em 2019, ele produziu um documentário premiado chamado “Learning by Doing. Lesotho 2018”: o filme segue a jornada exploratória de uma nova abordagem chamada in loco desenvolvida por uma organização sem fins lucrativos chamada Rise que está tentando resolver dois problemas-chave que transcendem o continente africano: altos níveis de desemprego juvenil e a necessidade de desenvolvimento de infraestruturas. Filmado em um período de 10 meses, a cinematografia captura a beleza majestosa do reino da montanha justaposta à dura realidade da luta da juventude desempregada do país.

Atualmente ele está envolvido em um projeto sobre espaços interculturais em Darling (Costa Oeste da África do Sul), dirigindo um documentário sobre a fronteira entre o município de negros e pardos e a rica comunidade branca, em um suposto país pós-apartheid.

Os seus trabalhos foram selecionados em vários festivais e eventos internacionais, como Arquiteturas Lisboa Film Festival, Amsterdam Urban Studies, ArqFilmFest Santiago del Chile, Budapest Architecture Film Days, IndieLisboa, One Vision, Copenhagen Architecture Festival, EMAF, Video Minuto Pop TV, Triennale di Milano “Made in Slums”.

Colaborou também com Exibart, Vice Italy, Discovery Channel, Trienal de Arquitetura de Lisboa, Leonardo.it, FMR Art’è, MSU (Museu de Arte de Zagreb).