Semana 3: 26 June – 2 July

A equipa do Arquiteturas acredita que esta pausa é uma ótima oportunidade para relembrar as últimas sete edições do festival e fornecer aos espetadores do mundo inteiro uma retrospetiva do festival com filmes gratuitos. Cada filme será lançado todas as sexta-feiras, até à data da edição no próximo ano, que decorrerá no cinema São Jorge de 1-6 Junho, e poderá ser visionado durante uma semana. Esta iniciativa visa proporcionar visibilidade aos filmes e aos realizadores e agradecer a sua contribuição para o início de muitas discussões necessárias iniciadas no festival através das histórias retratadas nos filmes. O festival convida todas as semanas, ao vivo no Instagram, os realizadores para uma conversa informal com a diretora do festival. Estas conversas serão anunciadas sempre que for possível serem realizadas, através das páginas do Instagram e do Facebook do festival.

STREAMING GRATUITO DISPONÍVEL ABAIXO DE 26 JUNHO – 2 JULHO

La Madre, il Figlio e l’Architetto MELHOR CURTA-METRAGEM INTERNACIONAL ARQUITETURAS’13

Petra Noordkamp, 2012, Holanda, 16’

La Madre, il Figlio e l’Architetto (The Mother, the Son and the Architect) é um curta-metragem sobre uma igreja em forma de esfera em Gibellina, uma cidade na Sicília que foi destruída por um terremoto em 1968 e reconstruída na década de 1980. Eu deparei-me com esta igreja por acaso e fiquei intrigado com seu desenho notável. O meu fascínio por este edifício intensificou-se quando descobri que esta igreja foi projetada pelo influente arquiteto italiano Ludovico Quaroni (1911-1987). Ele era o pai de Emilio Quaroni, um jovem com quem tive um breve relacionamento nos anos 90. Depois que o contato com Emilio se deteriorou, descobri em 2001 que Emilio assassinou a sua própria mãe no mesmo ano. Este filme traça a minha investigação sobre o que levou Emilio a cometer esse ato, mas quero particularmente revelar como a percepção arquitetónica de um edifício é tingida por um evento, por um encontro cerca de 15 anos antes.

Il Grande Cretto di Gibellina MELHOR FILME EXPERIMENTAL ARQUITETURAS’17

Petra Noordkamp, 2015, Holanda, 15’

Um Cretto branco monumental, iniciado em 1985, cobre uma encosta no remoto oeste da Sicília, é ao mesmo tempo arte da terra – um vasto monocromático incorporado na paisagem – e um memorial à cidade de Gibellina que foi devastado por um terremoto em Janeiro de 1968. Centenas de pessoas morreram nas aldeias ao longo do vale Belice e dezenas de milhares ficaram desabrigadas. Depois de viver em abrigos temporários por quase uma década, os moradores sobreviventes de Gibellina mudaram-se para Gibellina Nuova, a vários quilómetros de distância. Convidado a fazer uma obra de arte para a nova cidade, Burri imaginou uma escultura arquitetónica que cobriria as ruínas e representaria o desastre sísmico e o plano urbano destruído. Alvenaria desintegrada era compactada dentro de muros de contenção e coberta por uma enorme mortalha de cimento branco. As fissuras do Cretto resultante funcionam como caminhos que serpenteiam por uma área de aproximadamente 9 ha. A construção parou em 1989, mas foi reiniciada em 2014 para construir a última seção do projeto original de Burri.

Encomendado pelo Museu Guggenheim em Nova York, visitei o site várias vezes ao longo do ano passado para criar um filme que captura Grande Cretto como uma obra de arte experimental, repleta de senso de lugar, memória e história.

“essa obra geralmente pungente de arte terrestre é representada aqui por um filme de Petra Noordkamp que encerra o espetáculo com uma nota alta. As fendas de Burri são, neste caso, caminhos para os visitantes, evocando um plano de rua fantasmagórico e o poder devastador de um terremoto.”

The New York Times , October 9, 2015

Arcadia

Petra Noordkamp, 2014, Holanda, 10’

Arcadia é um curta-metragem sobre a cidade Gibellina. Em 1968, o vale de Belice, no oeste da Sicília, foi devastado por um terremoto. Gibellina sofreu a pior destruição: nenhum prédio foi deixado intacto e os sem-abrigo moraram em prédios pré-fabricados por mais de 10 anos. Gibellina Nuova foi reconstruída a 20 quilómetros da cidade anterior.
Ludovico Corrao, presidente de Gibellina na época, queria manter a comunidade unida e desenvolveu o projeto ‘Dream in Progress’. Planeadores urbanos de prestígio, arquitetos e artistas italianos importantes foram chamados para contribuir com esta nova cidade, criando juntos uma cidade de arte moderna. Gibellina apresenta belos edifícios e obras de arte, mas a maioria das áreas da cidade têm pouca relação entre si, e isso cria uma atmosfera de alienação grave.

A arquitetura de Gibellina evoca, para mim, as pinturas de Giorgio de Chirico e os filmes de Michelangelo Antonioni. No meu filme, comprometo-me a capturar e ampliar o sentimento de desolação experimentado ao vagar por esta cidade intrigante.

Sobre Petra Noordkamp

A artista holandesa Petra Noordkamp (1967) vive e trabalha em Amsterdão. Fotografa e faz curtas-metragens nos quais explora a influência de experiências, memórias, filmes e sonhos na percepção da arquitetura e do ambiente urbano. O seu trabalho foi exibido recentemente no Museu Guggenheim, em Nova York, no Centre Pompidou, em Paris, e no MAXXI, em Roma. Ocasionalmente ela é também curadora de exposições.

https://www.petranoordkamp.nl/