A curta experimental que abre o Arquiteturas 2019, o holandês Tractordans (2014), coloca-nos diante de um fluxo de tratores a mover-se coreograficamente sobre o campo. São máquinas orquestradas, sintonizadas no trabalho de transformação do meio natural. Deixam para trás linhas, geometrias, marcas no solo que servem de metáfora para a natureza humana propensa à artificialização da paisagem. O filme opera como uma meditação sobre o papel da agricultura, um dos principais agentes de modificação da natureza segundo as necessidades humanas.

O documentário em competição Melting Souls, do realizador François-Xavier Destors, é sobre a cidade de Norilsk, a maior produtora mundial de cobre e níquel, no norte da Rússia, e também uma das cidades mais poluídas do mundo. O filme narra a vida extraordinária dos habitantes de uma cidade extrema marcada pelo isolamento geográfico e pelo rigoroso inverno de até -60o C. Melting Souls explora as dificuldades de se viver numa das tantas cidades mono-funcionais da extinta União Soviética cuja vida gira, até hoje, à volta das indústrias de extração e transformação de minério. Trata-se acima de tudo de um olhar poético sobre os limites geográficos da civilização onde se luta para sobreviver e de onde também se tenta escapar.

Primeira Exibição 4 Junho 20h00  

 

Tractordans

Neeltje ten Westenend
Holanda, 2014 ,7’
Experimental Programa Oficial 
Estreia Portuguesa  

 

Melting Souls

François-Xavier Destors
França, 2018, 77’ Competição Documentário
Estreia Portuguesa
Q&A com presença dos realizadores