Tudo é Paisagem é um documentário que conta, a partir de nomes como Francisco Caldeira Cabral e António Viana Barreto, a história da construção de uma identidade paisagística portuguesa. Ao tratar de casos como o Parque de Serralves, no Porto, o Parque Eduardo VII, os Jardins da Fundação Gulbenkian e o enquadramento da Torre de Belém, o filme procura explorar a Arquitetura Paisagística como uma prática humana que ultrapassa o entendimento da natureza como um risco. Propõe-se pensar esta variante da arquitetura como: prática cuja essência está na criação de paisagens humanizadas integradas ética, ecológica e esteticamente na natureza; bem como um instrumento de solução do mau ordenamento do território.

Tudo é Paisagem

Duarte Natário
Portugal, 2019, 56’
Documentário Programa Oficial 

Em seguimento do filme o arquiteto Luís Ferro apresenta a dissertação Cosmos Interior e, no final conversa com o realizador Duarte Natário.

Cosmos Interior por Luís Ferro (30’)

Seguindo o diálogo entre o filme Tudo é Paisagem e a trilogia do silêncio de Ingmar Bergman, esta apresentação estuda o papel dos elementos arquitetónicos como janelas e portas (quadros dentro de quadros) na construção de uma paisagem humana interior pura.