Durante toda esta edição do festival haverá mais de 20 filmes em Estreia Nacional, 4 filmes em Estreia Europeia e 5 filmes em Estreia Mundial. O período para submissão de filmes para integrar a competição encontrou-se aberto desde Fevereiro até Maio de 2016 e foram recebidas 135 produções de 42 países diferentes, o que reflete uma vez mais que a intersecção entre o cinema e arquitetura é alvo global de interesse e de investigação.

A entrega de prémios terá lugar na Sessão de Encerramento do ARQUITETURAS – 16 de Outubro (Domingo, 21h30, Fórum Lisboa). Os filmes em competição serão avaliados e premiados dentro das respectivas categorias pelo seguinte júri:

 

juri_barbaraBarbaraSilva: Licenciada em Arquitetura pela Universidade de Coimbra, Doutora em Teoria e Prática de Projecto pela Universidad Politécnica de Madrid com a tese “Brasil, la Reinvención de la Modernidad; Le Corbusier, Lucio Costa, Oscar Niemeyer”. Actualmente vive em Lisboa e no Rio de Janeiro, onde desenvolve o seu trabalho como curadora, editora e agente de projectos culturais. Desde 2010 ‘ directora da plataforma NOTE (www.note.org.pt) – um organismo independente, de carácter cultural dedicado à divulgação da arquitetura através de exposições, confer’ncias e publicações.

 

 

 

 

juri_fernando_brizioFernando Brízio: Licenciado em Design de Produto (1996) pela Faculdade de Belas Artes de Lisboa, cidade onde vive e trabalha. Desde então, tem desenvolvido objectos produzidos industrialmente bem como séries limitadas artesanais, exposições, cenários e espaços para empresas e entidades como Droog, Schr‘der, Torino World Design Capital, experimentadesign, Câmara Municipal de Lisboa, Cor Unum, Fábrica Rafael Bordalo Pinheiro, Galerie Kreo e o coreógrafo Rui Horta.

 

 

 

 

 

juri_nunolisboaNuno Lisboa: Director do Doc’s Kingdom – Seminário Internacional sobre Cinema Documental e professor de Som e Imagem na Escola Superior de Artes e Design de Caldas da Rainha. Actualmente é o programador do 63º Robert Flaherty Film Seminar, tendo sido seleccionado para programar a edição de 2017 do histórico seminário norte-americano fundado em 1955 por Frances Flaherty.

 

 

 

 

 

juri_gabrielaGabriela Raposo: Licenciada em Arquitetura pela Faculdade de Arquitetura – UTL Lisboa (1998), e Mestre em Cenografia, pela Central St. Martins – College of Arts and Design, Londres (2001). É membro Investigador do núcleo Arte. Crítica.Política, integra o Grupo de Investigação em Teoria da Arte, Historiografia e Crítica do Instituto de História da Arte da FCSH de Lisboa desde 2013. Desde 1997 mantém prática individual de arquitetura e cenografia colaborando com gabinetes de arquitetura em Lisboa, entre os quais Falcão de Campos e Gonçalo Byrne, Aires Mateus, Fernando Salvador e Margarida Grácio Nunes; a nível internacional, colabora com Erick van Egeraat Architects. Desde Março de 2016 colabora com a KWY em projetos de diversas áreas disciplinares.

 

 

 

 

juri_luis-duarte-ferroLuís Ferro: Arquiteto sediado em Évora, onde exerce actividade professional desde 2012 (Estúdio Quimera). É investigador do Centro de História da Arte e Investigação Artística (CHAIA) da Associacion des Amis de Analecta Cartusiana. Publicou vários artigos em Portugal, Espanha, França, Inglaterra, Finlândia, Marrocos e USA. Fundou o grupo Cinema-fora-dos Leões que promove ciclos e debates em torno do cinema de autor. Actualmente é o coordenador do Projecto de Investigação intitulado Lugares Sagrados: as Cubas da Kûra de Beja (Fundação Calouste Gulbenkian).

 

 

 

 

juri_brito_guterresAntónio Brito Guterres: Investigador no centro de pesquisa DINAMIA’CET em mudança socioeconômica e no território do Instituto Universitário de Lisboa. Detém uma pós-graduação em Estudos Urbanos do Instituto Universitário de Lisboa, onde está agora no programa de doutoramento. Atualmente trabalha para a Fundação Aga Khan Portugal, concentrando-se em questões como a participação, governação, educação, juventude, diversidade e pluralismo. Também tem trabalhado como conselheiro, freelancer e voluntário com organizações e grupos informais; muitas vezes dá palestras sobre a regeneração urbana, gentrificação, os bens comuns, e o papel das artes e da cultura no desenvolvimento urbano. E faz parte membro da Rede Internacional de Pesquisa e Acção Urbana (INURA).