2015 Arquiteturas Film Festival

Durante toda esta edição do festival haverá mais de 50 filmes em Estreia Nacional, 4 filmes em Estreia Europeia e 6 filmes em Estreia Internacional. O período para submissão de filmes para integrar a competição encontrou-se aberto desde Fevereiro até Junho de 2015 e foram recepcionadas 159 produções de 39 países diferentes, o que reflete uma vez mais que a intersecção entre o cinema e arquitetura é alvo global de interesse e de investigação.
A entrega de prémios terá lugar na Sessão de Encerramento do ARQUITETURAS — 4 de Outubro / DOM / 21h45 / Fórum Lisboa.

Os filmes em competição serão avaliados e premiados dentro das respectivas categorias pelo seguinte júri:

AFFL-JURI-Catarina A Costa

Catarina Alves Costa

Nasceu no Porto. Estudou Antropologia Social, fez o Mestrado em Antropologia Visual no Granada Centre for Visual Anthropology da Universidade de Manchester e o Doutoramento na Universidade Nova de Lisboa. É Professora Auxiliar da Universidade Nova de Lisboa e Coordenadora do Mestrado em Antropologia – Culturas Visuais. Realizou, entre outros filmes, Senhora Aparecida (1994), Swagatam (1998) Mais Alma (2000), O Arquitecto e a Cidade Velha (2004), Nacional 206 (2009) Falamos de António Campos (2010). Recebeu entre outros, o 1º Prémio do festival VII Rassegna Internazionale di Documentari Etnografici, (1996), o Prémio de Excelência da Society for Visual Anthropology American Anthropological Association Film Festival, EUA(1996), Prémio Planéte no Bilan du Film Ethnographique (1999), Prémio da Crítica nos Caminhos do Cinema Português (2009).

AFFL-JURI-Diogo Burnay

Diogo Burnay

Nasceu em Oeiras, vive e trabalha entre Halifax e Lisboa. É Professor Associado e Director da Escola de Arquitetura da Universidade Dalhousie em Halifax, Canadá. Fundou com Cristina Veríssimo o CVDB ARQUITECTOS, escritório de arquitetura com diversos projectos e obras premiados, expostos e publicados nacional e internacionalmente. Trabalhou com Manuel Vicente em Macau. Ensinou na Faculdade de Arquitetura de Lisboa e nas Universidades de Hong Kong, Minnesota e Texas-Arlington, além de ser crítico convidado em inúmeras escolas de arquitetura em todo o mundo.

AFFL-JURI-Manuel Henriques

Manuel Henriques

Nasceu em Lisboa. É Diretor Adjunto da Trienal de Arquitectura de Lisboa. Foi consultor nas áreas de Arquitetura e de Design na Direcção-Geral das Artes do Ministério da Cultura de 2003 a 2010, onde coordenou as representações oficiais portuguesas nas bienais de Arquitetura de Veneza e São Paulo. Presidiu a inúmeras comissões de apreciação dos Programas de Apoio financeiro a Projetos Artísticos. Trabalha em várias frentes de criação e produção, colaborando regularmente com arquitetos, artistas, cineastas e performers, como interveniente ativo, em palco ou nos bastidores.

AFFL-JURI-Nelson Dona-foto tirada da net

Nelson Dona

Diretor do Festival Internacional de Banda Desenhada da Amadora (FIBDA).

AFFL-JURI-Nick Dunn

Nick Dunn

Professor de Urban Design na Universidade de Lancaster, Inglaterra, onde é também Director Associado do Institute for Social Futures. Desenvolveu trabalho sobre o papel das cidades como catalisadores de mudança social, inovação e desenho participativo, no UK Government Office for Science e em projetos como EPSRC-funded Liveable Cities, onde examina as visões futuras de cidades. Através desta actividade e subsequentes publicações, tem contribuído para um discurso alargado em torno das características correntes e de potenciais cenários futuros da paisagem urbana, numa série de diferentes contextos.

AFFL-JURI-Nuno Cera

Nuno Cera

É fotógrafo e cineasta, o seu trabalho aborda questões espaciais, arquitectura e situações urbanas, através de formas ficcionais, poéticas – documentais. Desenvolve actualmente os projectos Life is a Building site, para a Fundação EDP, Portugal; um projecto de video para o CCB Cidade Aberta – Centro Cultural de Bélem, Portugal; uma nova instalação video para a exposição Demo:Polis – 2016, Akademie der Künste, Berlim, Alemanha e uma encomenda de uma instalação video para a Fundação Gulbenkian a apresentar no Grand Palais, Paris em 2016 no âmbito da retrospectiva de Amadeo de Souza-Cardoso, Portugal / França. Recentemente participou nas seguintes publicações: Melancholy and Architecture (On Aldo Rossi) (Park Books); Exit Magazine #55; Uncube Magazine; 100 Fotógrafos Europeos; Shooting Space (Phaidon).

AFFL-JURI-Olivia Bina

Olivia Bina

Investigadora no Instituto de Ciências Sociais da Universidade de Lisboa e Professora Assistente Adjunta na GRM-Chinese University of Hong Kong. É licenciada em Ciências Políticas (Itália), realizou mestrado em Ambiente e Desenvolvimento e doutoramento em Geografia pela Universidade de Cambridge (Inglaterra). Na sua investigação, interessa-se por noções de sustentabilidade e pela necessidade de definição de elementos chave para futuros sustentáveis, especialmente em contextos de expansão urbana. Participa em projetos que exploram o uso de previsões e cenários, tanto em relação com questões socio-económicas (União Europeia 2050), como em termos de futuros urbanos (urbanização Chinesa, 2050). As suas publicações mais recentes reflectem sobre mudanças no discurso sobre desenvolvimento sustentável, aspectos críticos subjacentes ao crescimento “verde”, limites para o crescimento e noções de escassez.

AFFL-JURI-Peter Bo R

Peter Bo Rappmund

Nasceu em Wyoming, vive e trabalha em Dallas. Licenciado pela Universidade do Colorado, Boulder, e pela CalArts. Possui MFA em composição musical e filme/vídeo. Artista cuja prática é baseada tanto em propriedades empíricas como metafísicas dos ambientes naturais e construídos. Exibiu o seu trabalho em diversas instituições: Museum of Modern Art, Nova Iorque; Anthology Film Archives; National Maritime Museum, Londres; Rencontres, Paris e Berlim; REDCAT; Whitney Museum of American Art; California Academy of Sciences; e em Locarno, Nova Iorque, Viena, Vancouver, Ann Arbor, e nos festivais internacionais de Cinema de Hong Kong. Recebeu bolsas de organizações como a Graham Foundation e tem trabalho integrado em diversas colecções privadas e publicas, como a George Eastman House. Foi diretor de fotografia do filme Reconversão de Thom Andersen, sobre a obra do arquiteto portuense Eduardo Souto de Moura, e colabora atualmente em Communion Los Angeles, um projeto sobre a auto-estrada 110, com Adam R. Levine.

Deixar uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *